Radio Line link 1

Radio Line link 2

Na Geral

Loading...

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Compartilhando experiências

Vamos compartilhar conhecimento através de um bom bate papo para com você MicroEmpreendedor Individual - MEI

Temas:
- Comportamento
- Vendas
- Internet - Como usar essa ferramenta de modo seguro em favor de seu negócio


A entrada é de apenas um quilo de alimento não perecível que será doado a uma das instituições de nossa cidade.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Horário de Verão e a indignação de muitos

É o que um leitor do Rio Grande do Sul deixa claro em mais um email enviado a nossa redação.

Nome*: Rosmari Tremarin

Email*: rosmaritremarin@yahoo.com.br

Assunto/Sugestão*: Horário de verão

Mensagem*: "Quem criou a lei da mudança do horário de verão não tem consciência da realidade do Rio Grande do Sul, altamente prejudicial a saúde expõe o agricultor ao trabalho em horário aonde o sol é mais intenso, atrapalhando a vida de muitos, na minha cidade se fizerem uma pesquisa cem por cento odeiam este horário, além de trazer prejuízos a saúde, no final do ano quando todo mundo esta bem cansado, tem que acordar uma hora antes e não adiante dizer que pode dormir mais cedo, nosso organismo cria hábitos não é uma máquina que regulamos do jeito que queremos, .Quando essa droga pode mudar odiamos este horário, o dia que um olítico prometer mudar este horário será eleito por unanimidade, pois a maioria das pessoas trabalhadoras detestam estou falando trabalhadoras, não ás que curtem coisas no final do dia.Falo isto em nome de um grande número de pessoas.Porque nos submeter a isto."

Atenção você que é ou quer ser MicroEmpreendedor Individual - MEI

Na próxima terça-feira, dia 28, às 19 horas, na ACIJ Associação Comercial e Industrial de Jataí, vamos interagir para com você em um bate papo super agradável levando os temas Comportamento, Vendas e como a Internet pode ser útil de forma segura em função do seu negócio.
Participe levando um quilo de alimento não perecível que será doado ao Núcleo de Saúde Mental de Jataí.

Vamos juntos compartilhar de boas experiências!!!

“O Cerrado está extinto e isso leva ao fim dos rios e dos reservatórios de água”

Uma das maiores autoridades sobre o tema, professor da PUC Goiás diz que destruição do bioma é irreversível e que isso compromete o abastecimento potável em todo o País

Por Elder Dias
Uma ilha ambiental em meio à metrópole está no Campus 2 da Pon­tifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás). É lá o local onde Altair Sales Barbosa idealizou e realizou uma obra que se tornou ponto turístico da capital: o Memorial do Cerrado, eleito em 2008 o local mais bonito de Goiânia e um dos projetos do Instituto do Trópico Subúmido (ITS), dirigido pelo professor.

Foi lá que Altair, um dos mais profundos conhecedores do bioma Cerrado, recebeu a equipe do Jornal Opção. Como professor e pesquisador, tem graduação em Antropologia pela Universidade Católica do Chile e doutorado em Arqueologia Pré-Histórica pelo Museu Nacional de História Natural, em Washington (EUA). Mais do que isso, tem vivência do conhecimento que conduz.

É justamente pela força da ciência que ele dá a notícia que não queria: na prática o Cerrado já está extinto como bioma. E, como reza o dito popular, notícia ruim não vem sozinha, antes de recuperar o fôlego para absorver o impacto de habitar um ecossistema que já não existe, outra afirmação produz perplexidade: a devastação do Cer­rado vai produzir também o desaparecimento dos reservatórios de água, localizados no Cerrado, o que já vem ocorrendo — a crise de a­bastecimento em São Paulo foi só o início do problema. Os sinais dos tempos indicam já o começo do período sombrio: “Enquanto se es­tá na fartura, você é capaz de re­partir um copo d’água com o ir­mão; mas, no dia da penúria, ninguém repartirá”, sentencia o professor.

“Memorial do Cerrado” – o nome deste espaço de preservação criado pelo sr. aqui no Campus 2 da PUC Goiás, é uma expressão pomposa. Mas, tendo em vista o que vivemos hoje, é algo quase que tristemente profético. O Cerrado está mesmo em vias de extinção?

Para entender isso é preciso primeiramente entender o que é o Cerrado. Dos ambientes recentes do planeta Terra, o Cerrado é o mais antigo. A história recente da Terra começou há 70 milhões de anos, quando a vida foi extinta em mais de 99%. A partir de então, o planeta começou a se refazer novamente. Os primeiros sinais de vida, principalmente de vegetação, que ressurgem na Terra se deram no que hoje constitui o Cerrado. Por­tanto, vivemos aqui no local onde houve as formas de ambiente mais antigas da história recente do planeta, principalmente se levarmos em consideração as formações vegetais. No mínimo, o Cerrado começou há 65 milhões de anos e se concretizou há 40 milhões de anos.

O Cerrado é um tipo de am­biente em que vários elementos vi­vem intimamente interligados uns aos outros. A vegetação depende do solo, que é oligotrófico [com nível muito baixo de nutrientes]; o solo depende de um tipo de clima especial, que é o tropical subúmido com duas estações, uma seca e outra chuvosa. Vários outros fatores, incluindo o fogo, influenciaram na formação do bioma – o fogo é um elemento extremamente importante porque é ele que quebra a dormência da maioria das plantas com sementes que existem no Cerrado.

Assim, é um ambiente que de­pen­de de vários elementos. Isso significa que já chegou em seu clímax evolutivo. Ou seja, uma vez degradado não vai mais se recuperar na plenitude de sua biodiversidade. Por isso é que falamos que o Cerrado é uma matriz ambiental que já se encontra em vias de extinção. 
Entrevista - Leia matéria completa/Jornal Opção

"21 de outubro" - Uma data histórica para Jataí

"Um sonho que se torna realidade, a duplicação da BR 060 entre Jataí e a capital Goiânia é oficialmente entregue."
Por Gideone Rosa
Foi essa a frase que o prefeito Humberto Machado proferiu em seu discurso nesta Terça-Feira por ocasião da entrega oficial de uma das mais importantes rodovias do Brasil. Na presença de várias autoridades, entre elas o Ministro dos Transportes Paulo Sérgio Passos, deputado federal Leandro Vilela, o eleito deputado federal Daniel Vilela entre outras o prefeito falou da importância não só para Jataí, mas para a região, o nosso estado e também para o Brasil desta rodovia o que trará não só redução de custos no tão chamado custo Brasil mas vai proporcionar agilidade e segurança para os usuários desta importante via.
Leandro Vilela ressaltou a dedicação de todos em função desta duplicação e exaltou os investimentos da Presidente Dilma Roussef. Daniel Vilela disse que agora deputado federal a luta não vai parar e outros benefícios continuarão a serem feitos assim como um ramal ferroviário em Jataí. 
Indagado por nossa reportagem sobre os problemas da BR 364 na região de Rondonópolis MT, o Ministro disse que tudo está superado e que a as obras já recomeçaram e que deverão ser concluídas em tempo hábil. Ele salientou em seu discurso que o próximo passo é duplicação desta BR, começando em Jataí indo até a referida cidade de Rondonópolis.
Não deixando passar a oportunidade Paulo Sérgio falou das obras espalhadas por todo o Brasil graças a um governo que se preocupa na modernização principalmente da infra-estrutura brasileira.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

OS DANOS AMBIENTAIS E OS DIREITOS HUMANOS.

Recentemente, o Especialista Independente das Nações Unidas sobre direitos humanos e meio ambiente, John Knox, cobrou dos governantes mundiais que levem em conta as leis de direitos humanos na concepção e desenvolvimento da governança ambiental.
Segundo Knox “o dano ambiental pode violar o desfrute dos direitos humanos”.
Knox foi duro e advertiu severamente que, embora haja interdependência entre as questões ambientais e os direitos humanos, a relação existente entre ambas as área so direito não é devidamente conhecida e explorada pelos operadores do Direito. “Os direitos humanos à liberdade de expressão e associação, à informação, à participação na tomada de decisões e a remédios devem ser protegidos, tanto a nível nacional quanto a nível internacional”, afirmou. “Os direitos humanos devem ser levados em conta na definição da governança ambiental”.
Assistimos no Brasil, nas última semanas, um quase blackout do fornecimento de energia e água em várias cidades do país, inclusive a região do sudoeste goiano.
Ouvimos das autoridades que a ausência de chuvas nas regiões atingidas e o fator climático (temperaturas altas) ocasionaram um aumento substancial do consumo, atrelado ao aumento de população das cidades atingidas, como por exemplo Mineiros e Jataí.
As fotos dos rios da região, antes praticamente perenes, hoje não mostram mais que pequenos veios de água de pouco mais de um ou dois metros, onde, antes, se tinha ‘rios de águas caudalosas” (placa do Rio Claro em Jataí).
Será que realmente a culpa é tão somente do clima?
Será que não houve um baixo ou nenhum investimento nos processos de captação, armazenagem e distribuição da água tratada?
Será que os dirigentes não observaram que a população dessas cidades vem aumentando, diariamente, e em contrapartida nada foi efetivamente feito no sentido de se prover essa população de água e energia de forma adequada?
O direito do ser humano à água e a energia elétrica, no meu ponto de vista é inegociável.
O direito à água potável faz parte dos direitos fundamentais .
É indigno ao cidadão que recolhe seus impostos, paga um tributo caríssimo, recolhe as taxas de água e energia e não tem direito a sequer tomar banho quando chega do trabalho, de cozinhar, como se vê em nossa região, por falta de água por dois, três ou mais dias.
Se fala em racionamento, quando se devia, e há muito tempo, se falar em investimentos.
Se fala e controle de consumo pela população, quando se devia, há muito tempo, ter regulamentado, de forma efetiva, e não para inglês ver, a conservação das nascentes e das reservas ambientais.
De que me adianta para nós, alguém ter uma área rural aqui no sudoeste goiano, completamente arrasada e a sua “reserva legal” estar localizada no Pará, no Acre, em Caiapônia?
A legislação ambiental é tacanha, esdruxula e incapaz de coibir os desmatamentos ilegais tanto aqui no Cerrado como também na Amazônia, onde nunca se desmatou tanto quanto nos últimos tempos.
Nos iludimos, e em muito com o processo produtivo da monocultura nessas regiões, cuja fonte de renda atrai a ganância dos municípios e munícipes, e pagaremos, caro, à curto/médio prazo, pela agressão desse tipo de cultura em nosso solo, através da crescente diminuição dos índices pluviométricos causados pelo desmatamento generalizado e o não respeito das limitações impostas por uma legislação que não tem suporte humano para punir os irresponsáveis.
Os rios irão embora, talvez voltem, talvez não. A responsabilidade social é nossa, povo e governo, iremos nos calar?
O fornecimento de água é respeito à cidadania.

Rio Claro, um termômetro que não queremos

Sendo motivo de curiosidade Rio Claro vira "atração" turística devido o seu nível de água. A beira de secar o rio que abastece nossa cidade e boa parte do sudoeste goiano pede socorro.
É que muita gente vem constatando nos últimos tempos, o que rio que antes era caudaloso, como diz uma placa na entrada da ponte, agora não passa de um filete de água em proporção ao que era. Para muitos é motivo até de choro ao ver o rio onde se pescava um peixinho, apesar do perigo de suas correntezas, que já não existe, nos refrescava nos dias de calor e que também, ainda, mata a nossa sede.
É lamentável o que vem ocorrendo não só com o nosso Rio Claro mas também com os mananciais que de água que nascem ou passam por nossa cidade. Já falamos por diversas vezes do assunto aqui no JN mas até o momento nenhuma providência por parte dos políticos foi tomada e de agropecuaristas em favor da preservação destes mananciais.
O que mais deveremos sofrer para tais ações serem efetivadas? Será a desertificação? A secagem por completo de nossos riachos como o Córrego Jataí que devido aos inúmeros criadouros de peixes está também a pedir socorro?
O Córrego Açude sofrendo agressões de toda a natureza, o Córrego da Pulga que atualmente mal enche um de nossos lagos que é símbolo de qualidade de vida e de história, o Parque Ecológico JK. As pequenas nascentes na zona urbana, que fora foram contadas em mais de 15, com quase todas soterradas pela ganância do ganhar dinheiro a qualquer custo.
Sem mencionar, é claro, um projeto arrojado de arborização que Jataí não implantou. A exemplo temos a praça da Catedral que é um horrendo descampado onde nem um mísero "calango" tem onde se abrigar do sol escaldante.
Perguntamos novamente: O que será preciso sofrermos para que uma atitude seja tomada?

Fotos: Del Schinmmunech

numericamente à frente de Aécio, indica Datafolha

Segundo pesquisa realizada nesta segunda-feira, petista aparece com 52% dos votos válidos contra 48% de tucano
Por Daniel Bramatti - Estadão
Pela primeira vez desde o início do 2.º turno, pesquisa Datafolha mostra a presidente Dilma Rousseff (PT) numericamente à frente de seu adversário, Aécio Neves (PSDB), embora ainda em situação de empate técnico, no limite máximo da margem de erro. A petista tem 52% das intenções de voto, e o tucano, 48%.
Divulgado nesta segunda-feira, o resultado se refere aos votos válidos, do qual são excluídos nulos, brancos e respostas dos eleitores indecisos. Nesse universo, Dilma cresceu três pontos porcentuais desde o levantamento do Datafolha da quarta-feira da semana passada, quando aparecia com 49%. Aécio, que tinha 51%, caiu os mesmos três pontos.
Na primeira pesquisa do instituto, feita logo após o 1.º turno, o placar também havia sido de 51% a 49% para o tucano e para a petista, respectivamente.
A margem de erro da pesquisa é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O fato de Dilma aparecer com quatro pontos a mais do que o adversário, no limite da margem, indica que a probabilidade de eles estarem de fato empatados é muito baixa.
Levando-se em consideração os votos totais, a presidente teve, na série de três pesquisas do Datafolha no 2.º turno, 44%, 43% e, agora, 46%. Já Aécio começou com 46%, passou para 45% e, por fim, chegou a 43%. Os indecisos se mantiveram na faixa dos 6%. Os eleitores dispostos a anular ou a votar em branco passaram de 4% para 6% e, agora, somam 5%.
A taxa de rejeição a Aécio oscilou para cima desde a última quarta-feira, de 38% para 40%. Já os que afirmam que não votam em Dilma de jeito nenhum passaram de 42% para 39%.
O levantamento do Datafolha foi todo feito ontem – ou seja, já captou eventuais efeitos do terceiro debate do 2.º turno, realizado na noite de domingo na TV Record. O último dos confrontos televisivos entre a petista e o tucano ocorrerá na sexta-feira, na TV Globo.
No 1.º turno, Dilma obteve, em valores arredondados, 42% dos votos válidos. Aécio ficou com 34%. Terceira colocada, Marina Silva (PSB) teve 21% e declarou apoio ao tucano.
O Datafolha ouviu 4.389 eleitores em 257 municípios. O intervalo de confiança é de 95%, ou seja, em cada 100 pesquisas feitas com a mesma metodologia, 95 terão o resultado dentro da margem de erro esperada. O levantamento foi encomendado pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo. O registro na Justiça Eleitoral foi feito sob o protocolo BR-01140/2014.
Prévia. O instituto MDA também divulgou pesquisa ontem de manhã, com resultado semelhante. O levantamento apontou empate técnico: 50,5% para Dilma e 49,5% para Aécio, no universo dos votos válidos. Nos votos totais, o resultado foi de 45,5% a 44,5%. A margem de erro da pesquisa, encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos.
O MDA realizou 2.002 entrevistas entre os dias 18 e 19 de outubro em 137 municípios de 25 unidades da Federação das cinco regiões. A pesquisa foi registrada no TSE sob o número BR-01139/2014. Fonte - Estadão

sábado, 18 de outubro de 2014

Horário Brasileiro de Verão em 2014/2015

Venha passar bons momentos relaxando no maior clube de águas termais do sudoeste goiano, o Thermas Park Jatahy
Diga não ao stress e tenha mais saúde nas águas termais de Jataí. O Thermas Park Jatahy está preparado para lhe receber com todo carinho. 


Começa à zero hora de 19/10/2014 até zero hora de 22/02/2015
O que é o Horário de Verão?
Durante a primavera e o verão, em grande parte do Brasil, os dias são mais longos do que as noites, ou seja, o sol surge mais cedo (alvorecer) e põe-se mais tarde (entardecer). Para aproveitar melhor a luz natural, foi instituído o adiantamento do relógio em uma hora em relação do horário legal.
Qual a vantagem do Horário de Verão?
Redução do consumo de luz artificial, ou seja, da energia elétrica, principalmente, para iluminação, e aumento das horas de lazer, visto que escure mais tarde. O melhor aproveitamento da luz do sol traz benefício geral à população, seja para o lazer ou para atividades comerciais, a indústria, o turismo e, também, ganhamos com os benefícios ecológicos e a preservação do meio ambiente.
Em quais estados se aplica o Horário de Verão?
O Horário de Verão no Brasil é aplicado por decreto nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, portanto, nos seguintes estados: DF (Distrito Federal), ES (Espírito Santo), GO (Goiás), MG (Minas Gerais), MT (Mato Grosso), MS (Mato Grosso do Sul), PR (Paraná), RJ (Rio de Janeiro), RS (Rio Grande do Sul), SC (Santa Catarina) e SP (São Paulo).
Quando começa e termina o Horário Verão?
Desde 2008, foi fixada a data de ínicio e término do Horário de Verão no Brasil, que deve começar à zero hora do terceiro domingo de outubro e terminar à zero hora do terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte (se coincidir com o domingo de carnaval, o horário é prorrogado por mais uma semana). Veja o Decreto Presidencial 6.558 de 08/09/2008.

Faça contato:
SECTUR
Secretaria Municipal de Turismo de Jataí-GO
Rua Minas Gerais esq. com Dom Pedro II - Bairro Santa Maria
Telefone: 64-3632-4004
Jataí-GO
CEP: 75.800-015
Site: www.jatai.go.gov.br
e-mail: turismo@jatai.go.gov.br

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Ibope - Pesquisa Presidente 2º Turno

No último levantamento Ibope referente ao segundo turno para presidente em 2014, encomendado pela TV Globo e divulgado dia 15 de outubro, Aécio Neves continua na primeira posição, mas ainda empatado tecnicamente com a presidente Dilma.

Pesquisa para Presidente da República (Votos Válidos)

CandidatoIntenções de Voto (%)
Aécio Neves (PSDB)51%
Dilma (PT)49%
O cálculo dos votos válidos é conseguido através da retirada dos votos em branco, nulos e os dos eleitores indecisos. Este é o processo utilizado pela Justiça Eleitoral para chegar os resultados oficiais da eleição. O candidato vitorioso no segundo turno é aquele que alcançar a maioria dos votos.

Pesquisa para Presidente da República (Votos Totais)

CandidatoIntenções de Voto (%)
Aécio Neves (PSDB)45%
Dilma (PT)43%
Branco/Nulo7%
Não Sabe/Não Respondeu5%
A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 14 de outubro de 2014 com 3.010 eleitores. A margem de erro é dois pontos percentuais para mais ou para menos com um nível de confiança de 95%. A pesquisa está registrada do TSE sob o protocolo nº BR-01097/2014 e foi divulgada no site Globo.com.

Datafolha - Pesquisa Presidente 2º Turno

A pesquisa Datafolha encomendada pela TV Globo e pelo jornal "Folha de S.Paulo" sobre o segundo turno da eleição presidencial em 2014, divulgada dia 15 de outubro, mostra Aécio Neves na liderança, mas empatado tecnicamente com Dilma.

Pesquisa para Presidente da República (Votos Válidos)

CandidatoIntenções de Voto (%)
Aécio Neves (PSDB)51%
Dilma (PT)49%
É a partir dos votos válidos que a Justiça Eleitoral alcança os resultados oficiais da eleição, método que exclui da amostra os votos em branco, nulos e os votos dos eleitores indecisos. Para um candidato ser eleito no segundo turno, ele precisa atingir a maioria dos votos. Veja mais/PesquisaEleitoral