quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Opinião - Futuro político de Jataí

Que a política jataiense é uma incógnita é um fato, mas tudo pode acontecer

Por  Gideone Rosa
Desde que Humberto Machado assumiu este último mandato como prefeito de Jataí que a especulação em torno deste assunto a cada dia vem crescendo quanto ao seu sucessor e um dos principais pivôs desta especulação envolve o nome do ex deputado federal Leandro Vilela. 

O que se pergunta pelas esquinas da cidade e até mesmo a nível de estado, Leandro será ou não o sucessor do prefeito Humberto? Esta é uma pergunta que ninguém respondeu com precisão. Humberto diz que Leandro é sim seu sucessor por outro lado o ex deputado diz que está muito bem no cargo de executivo do grupo JBS e que também por questões familiares está difícil voltar para a vida pública.

No entanto em meio a tantas discussões e disse me disse saiu uma nota nos últimos dias em um importante jornal de Goiás que PMDB e PSDB estariam costurando uma aproximação a nível de município entre Leandro Vilela, cabeça de chapa, e Victor Priori como vice. Claro que nesse mundo de política e politicagens tudo pode realmente surpreender, mas todos sabem que em Jataí a ideologia política de PSDB e PMDB é totalmente antagônica, ou seja não tem nada a ver o ovo do pato com o fiofó da galinha. 
Claro que  para Victor Priori seria a glória pois estaria ganhando de bandeja a prefeitura de Jataí em 2020. Diante disso fica a pergunta que não quer calar; estaria o PMDB disposto a abrir mão de um dos principais municípios de Goiás? Não creio. O que acredito é  que tudo isso não passa de uma grande especulação para promoção, muito bem articulada, de Victor Priori, já que nesse momento, caso Leandro fale para os quatro cantos do mundo político que é candidato a prefeito de Jataí, não tem páreo para derrotá-lo nesta campanha.

De acordo com a nota especulativa a preocupação do PSDB é o vertiginoso crescimento do vereador Vinícius Luz para essa disputa o que está incomodando o candidato natural do partido, Victor Priori. Uma coisa que não deixa de preocupar o vereador e seus simpatizantes é o poder de fogo econômico de  Victor, mas om as mudanças no dito financiamento de campanha Vinícius pode respirar um pouco mais de oxigênio puro. 

A grande diferença entre o vereador Vinícius Luz e o migrante é uma coisa que Victor não terá tão cedo, carisma e carisma Vinícius tem e muito. E cá entre nós, carisma e simpatia fazem uma diferença muito grande numa eleição.

Especulações à parte, particularmente falando, apesar das diferenças ideológicas, eu ficaria feliz se essa aproximação fosse entre Leandro e Vinícius, seria uma chapa imbatível. Quiçá chapa única.
Só para encerrar. Se essa nota for verdadeira, o que duvido muito, isso pode abrir uma lacuna para um nome novo na política jataiense frente ao executivo municipal, que pode ser um dos vereadores Marcos Antonio e Vinícius Luz.
Eu já disse e repito o mercado político em Jataí para uma disputa rumo ao executivo municipal está em aberto, qualquer erro nesse jogo vai beneficiar um desses nomes. ...Quem sabe assim sairemos da mesmice política de tantos anos.

Aproveitando brilho do sol colheita da soja segue a todo vapor

Em Jataí, os produtores já iniciaram o plantio do milho safrinha, que será de mais de 200 mil hectares do grão.

Jataí é um dos municípios que mais produzem o milho safrinha.  Pelo menos 20% de toda a produção de Goiás devem sair das fazendas do município. A área plantada deve ser a mesma do ano passado, mais de 210 mil hectares.

Goiás deve plantar cerca de um milhão e cem mil hectares. E assim, como aconteceram com a soja, os produtores esperam que o clima favoreça o desenvolvimento da plantação. Fonte: G1

Delegado Waldir anuncia saída do PSDB

O deputado federal Delegado Waldir anunciou, nesta terça-feira (9/1), que deixará mesmo o PSDB. Mais bem votado das eleições de 2014 em Goiás, o parlamentar confirmou a saída do partido em entrevista ao Jornal Opção.

Embora não tenha uma data definida, ele garante que não participará das prévias, marcadas para o dia 21 de fevereiro — quando enfrentaria o colega de Brasília Giuseppe Vecci e o presidente da Câmara Municipal de Goiânia, vereador Anselmo Pereira.

Os motivos para deixar o tucanato goiano são conhecidos e devem ser formalmente apresentados já nesta quinta-feira (11/2). O principal deles é que, desde que foi eleito, o delegado sonha em ser o candidato do PSDB à Prefeitura de Goiânia no pleito de 2016. No entanto, enfrenta resistências internas e tem dito que há predileção por outros candidatos que não ele. Leia mais//Opção

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Nenhuma auto escola possui o aparelho

Detran-GO bloqueia prova prática de CNH por falta de aulas em simulador

Do G1 Goiás
Os candidatos que abriram processo para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) não conseguem agendar a prova prática, em Goiás. Isso porque, desde o último dia 4 de janeiro, as aulas em simuladores passaram a ser obrigatórias no processo de formação do condutor. Porém, nenhuma autoescola do estado tem o equipamento.

A estudante Amanda Quirino está fazendo as aulas teóricas e não faz ideia de quando será submetida à prova prática. “Marcar a prova escrita, depois a prática, não sei quando”, afirma. Assim como ela, todas as pessoas que abriram processo este ano não poderão tirar a CNH sem ter passado por, no mínimo, 5 horas de aula no simulador.

De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Detran), o sistema de agendamento de prova prática foi bloqueado e as autoescolas informadas sobre a compra e instalação obrigatória dos simuladores.

No entanto, donos de centro de formação reclamam da dificuldade para adquirir o aparelho. A Associação dos Centros de Formação de Condutores entrou com uma liminar pedindo a suspensão da resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

A dona de autoescola Derli Fernandes espera que a liminar seja concedida, para que os processos não se acumulem. Ela afirma que já tentou adquirir o equipamento, mas não conseguiu. “Caso ela [a liminar] não seja cumprida, vamos procurar adquirir esses aparelhos. Mas empresas não têm de pronta entrega, estão pedindo de 90 a 120 dias para ser entregue”, disse.

A advogada Sarah May Cyrous abriu o processo para tirar a CNH em 2014. Ela retomou as aulas no ano passado e, no próximo dia 18, chega ao fim a validade do processo. Ela teme que o problema dos simuladores interfira na prova prática dela, que ainda não foi agendada.

“Tem vários colegas meus que também estão nesse vai e vem do Detran. Se eu não conseguir fazer minha prova esta semana, vou perder meu processo e ter que fazer de novo”, desabafa.

O Detran informou que todos os processos para tirar a CNH abertos em 2015 tem o agendamento normal, desde que o exame médico não tenha sido feito em 2016.

Recadastramento Biométrico

Unidades de Rio Verde, Jataí e outras passarão a atender, inclusive aos fins de semana, das 8h às 18h

Cartórios eleitorais ampliam horários para recadastramento biométrico, no entanto, durante o recesso de carnaval, unidades funcionam apenas no sábado.

Os cartórios eleitorais de cidades goianas que fazem o recadastramento biométrico terão o horário estendido e passarão a funcionar aos finais de semana, a partir desta terça-feira (2). De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), a medida visa acelerar os trabalhos em 98 municípios, já que o prazo termina no próximo dia 26.

Durante o recesso de carnaval, os cartórios atenderão apenas no sábado (6) e em regime de escala, que será definido pelo juiz eleitoral de cada município, mas com horário mínimo das 8h às 14h. Já nos demais dias úteis, sábados e domingos, os atendimentos serão realizados das 8h às 18h.

Segundo o órgão, o recadastramento biométrico serve para garantir a segurança e identidade do voto. O TRE-GO destaca que a biometria também alimenta um sistema que pode servir, por exemplo, como uma forma de combate à criminalidade, pois integra um banco de dados de impressões digitais.

O recadastramento é obrigatório para todos os eleitores, até mesmo para aqueles que não têm mais obrigatoriedade de votar por causa da idade.

Quem não fizer o procedimento pode enfrentar várias dificuldades, como não conseguir tirar um passaporte, não poder tomar posse em cargo público, não obter empréstimo em qualquer estabelecimento de crédito, não renovar a matrícula em escolas e universidades oficiais e nem requerer a aposentadoria ou receber benefícios do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

Reforço

Em Jataí, no sudoeste do estado, foi montado na Câmara Municipal um novo posto para fazer o recadastramento biométrico. Na segunda-feira (1º), primeiro dia de funcionamento, muitos eleitores enfrentaram longas filas.

O agropecuarista Paulo Sérgio Cardoso disse que esperou por cerca de duas horas para ser atendido, mas aprovou a nova unidade. “Eu achei melhor, pois o outro posto do Tribunal Eleitoral na cidade é mais longe da minha casa e está muito lotado”, afirmou.

De acordo com o TRE-GO, mais de 39 mil eleitores ainda precisam fazer o recadastramento em Jataí. Com o novo posto, a expectativa é que 2 mil pessoas sejam atendidas por dia. O órgão contratou 34 funcionários para acelerar o recadastramento.

“Nossa capacidade quase que dobrou, tanto no cartório quanto no posto na Câmara Municipal e, com isso, a gente espera atender o máximo possível do eleitorado até o final do prazo, que é o dia 26”, explicou o chefe de cartório Vinícius de Castro Borges. (Fonte: G1)

Valor do IPTU/2016 será o mesmo que o de 2015

Na próxima segunda-feira (08/02) começa a serem distribuídos os carnês do IPTU/2016. 

Por Raica Evangelista
Os valores de todos os IPTU não sofreram nenhum aumento em relação ao ano passado, mesmo com toda crise financeira que o país enfrenta.

Os contribuintes que efetuarem o pagamento à vista, até a data de vencimento (10/03), terão um desconto de 20% no valor total. Pagamentos parcelados poderão ser feitos desde que as parcelas fiquem com o valor mínimo de R$50. 

Donos de lotes vagos poderão retirar seus talões de IPTU no setor de arrecadação, localizado na Prefeitura Municipal, ou pelo site da Prefeitura de Jataí através do link ‘Serviços Online’, fixado na página principal. www.jatai.go.gov.br 

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Cuidado: se você encontrar ISSO na porta do seu carro, fique atento! Seu veículo pode estar prestes a ser roubado.

Quando você acha que já viu de tudo… Sempre descobre algo novo! 
Neste caso, infelizmente, a novidade não é das melhores: ladrões inventaram um novo truque para roubar carros. Todos precisam ficar atentos.   Quando você estacionar seu veículo em algum lugar, preste atenção na maçaneta na parte exterior da porta. Verifique se ninguém colocou ali uma moeda ou algum outro objeto pequeno e sólido.

O problema é que, fazendo isso, o sistema de tranca da porta não funciona, por mais que você o ative. Portanto, seu carro fica aberto e vulnerável sem que você perceba! Este golpe é normalmente aplicado na porta do carona ou no porta-malas, já que estas áreas são menos visíveis para o motorista.

Assim que você se afasta do carro, o ladrão vem terminar o serviço. Para ele, este roubo é moleza! Tudo que o bandido precisa fazer é abrir a porta e arrumar uma maneira de ligar o motor. Às vezes, eles não levam o carro e ‘apenas’ aproveitam a porta aberta para pegar sua bolsa discretamente. 

Então tome cuidado! Verifique todas as portas do seu carro antes de se afastar dele e não se esqueça de conferir se o veículo está trancado. Você não quer dar seu carro de bandeja para um bandido, certo? Então preste atenção e compartilhe esta informação com seus amigos. Todos precisam saber.

Em Jataí, dois produtores rurais são condenados pela Justiça Federal por trabalho escravo

Ilustrativa/Google
De acordo com a denúncia do MPF/GO, em 2012 os dois fazendeiros mantinham 17 pessoas em condições análogas à escravidão. Ambos ainda poderão recorrer em liberdade.

Rosana de Carvalho/PaNoRaMa
Em ação do Ministério Público Federal em Rio Verde (MPF/GO), os produtores rurais Oscar Antônio Rossato e Ivandro Carlos Popik foram condenados pelos crimes de trabalho escravo e falsificação de documento público. A sentença foi proferida pela Vara Única da Justiça Federal em Jataí (processo nº 0001688-93.2014.4.01.3507).

De acordo com a denúncia do MPF/GO, em 2012 os dois fazendeiros eram responsáveis por uma plantação de cabaças na Fazenda Rio Claro, no município de Jataí, sendo Oscar o arrendatário da terra e Ivandro o responsável pela produção e mantinham no local 17 pessoas em condições análogas à escravidão. As vítimas eram mantidas em condições degradantes e indignas de sobrevivência, como por exemplo, alojamento inadequado, convivência promíscua entre homens, mulheres e crianças sem vínculo familiar, falta de instalações sanitárias adequadas, falta de água potável e de alimentação suficiente, falta de equipamentos de proteção individual, entre outros pontos analisados pelo autor da denúncia, o procurador da República Otávio Balestra Neto.

Além disso, os produtores negligenciaram informações e direitos trabalhistas importantes nas carteiras de trabalho dos funcionários, como o nome do segurado, dados pessoais, remuneração e vigência do contrato de trabalho.

Dessa maneira, o juiz federal Eduardo de Melo Gama em sua decisão, condenou Oscar Rossato a nove anos de reclusão, com cumprimento inicial da pena em regime fechado e ao pagamento de 350 dias-multas, sendo cinco salários mínimos da época dos fatos para cada dia-multa, totalizando cerca de R$ 1 milhão. Ivandro Popik foi condenado a seis anos de reclusão, com cumprimento inicial da pena em regime semiaberto e pagamento de 230 dias-multa, sendo 1/30 (um trinta avos) do salário mínimo da época para cada dia-multa, totalizando por volta de R$ 4,8 mil.

Ambos ainda poderão recorrer em liberdade.

Goiânia é a primeira cidade do Brasil onde Uber e táxi convivem pacificamente

Há quatro dias em funcionamento na capital, nova plataforma ainda não sofreu com a hostilidade de taxistas. Veja o porquê

Por Marcelo Gouveia
Brasília, Goiânia, Campinas, Porto Alegre, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba. As oito cidades têm um ponto em comum: todas contam com o serviço do Uber, empresa multinacional de transporte privado urbano. Da lista, no entanto, a capital goiana é uma exceção, já que é a única, ao menos até agora, onde Uber e táxi convivem pacificamente.

Quatro dias após o início das atividades do aplicativo em Goiânia, nenhuma ocorrência sequer envolvendo tensão entre motoristas do Uber e taxistas foi registrada. Em entrevista ao Jornal Opção, o diretor de Comunicação do Uber no Brasil, Fábio Sabba, confirmou a ausência de conflitos no trânsito da capital e deu uma explicação para o fato inédito. “Goiânia é uma cidade que abraça a tecnologia a fim da promoção da mobilidade urbana.”

A aticipicidade goiana também é fruto da atuação do próprio sindicato que representa os taxistas. À reportagem, o presidente do Sindicato dos Taxistas de Goiânia (Sinditáxi), Silone Antônio dos Santos, informou que a recomendação para evitar confrontos entre os profissionais partiu da própria entidade.

“Temos que agir com racionalidade e não deixar que nosso instinto animal faça que partamos para o confronto. Nossa orientação é no sentido de respeitar o usuário e, por respeito ao usuário, não estamos entrando em confronto”, pontuou.

Silone informou que taxistas chegaram a publicar em redes sociais e aplicativos de mensagem a intensão de depredar carros do Uber, mas o sindicato teria intervido de imediato para evitar possíveis tensões. “Quando o Uber surgiu em Califórnia, os taxistas fecharam aeroportos e a população acabou prejudicada. Resultado: o serviço de táxi caiu 60%. A gente não quer isso. Queremos mostrar para o usuário que ele está usando o transporte ilegal e clandestino”, explicou. Leia mais/Opção

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Artigo - Crescimento do agronegócio com a fidelização da nova geração de empresários rurais

Por Cilotér Borges Iribarrem

Observamos uma grande preocupação das empresas envolvidas com o agronegócio brasileiro em fidelizar os seus clientes, sejam elas voltadas ao mercado de máquinas e equipamentos, fertilizantes, sementes, agentes financeiros, cooperativas, entre outras. Essa fidelização é extremamente importante e facilita o desenvolvimento dos elos da cadeia, porém a concretização dela só vai ocorrer se os grandes players do setor entenderem que além de fidelizar um produtor rural como cliente, é necessário organizar a sua família para trabalhar em sociedade e, com isso, manter e fazer crescer a escala do negócio ao longo do tempo. Para assegurar a geração atual e a futura continuidade da empresa rural só existe um caminho: planejamento de um processo sucessório e a implantação da governança.

A fidelização da cadeia do agronegócio brasileiro com as empresas rurais familiares passa necessariamente por estímulos, como por exemplo, orientar e assessorar os produtores rurais a trabalharem em sociedade empresarial familiar, pois quem conduz o negócio são as pessoas e, se elas não se entenderem internamente na empresa, não vão conseguir se fidelizar comercialmente com terceiros. Pelo contrário, ocorrerá enormes disputas internas, entre os membros da família, quanto as várias opções de que se apresentam, sejam elas de provedores de insumos, crédito, mercado, etc.
Fidelizar é incentivar que as diferentes gerações que trabalham juntas no negócio, estejam ajustadas familiarmente e empresarialmente e, com isto, estaremos fidelizando não só os clientes desta geração, mas também os sucessores desta.

Atualmente as empresas rurais familiares têm uma composição de negócio, família e patrimônio diferente do passado. Hoje, graças a longevidade das pessoas, podemos ter até três gerações trabalhando na mesma propriedade, o fundador, o filho e o neto, ambos com perfis de formação completamente diferentes, tanto no modo da vida, quanto nas relações matrimoniais, entre outros fatores. Associada a esta complexidade familiar, os negócios tornam-se mais duráveis e maiores, mas também exigem muito mais conhecimento da gestão de pessoas, financeira, tributária, ambiental e etc.
Diante deste contexto, para que o negócio ande bem, é necessário estabelecer o processo de sucessão e governança nas empresas rurais familiares, pois através dessa estruturação as relações de negócio, família e patrimônio ficam com regras claras, onde os perfis das gerações envolvidas são respeitados, o patrimônio fica protegido e a empresa adota práticas transparentes, criando um ambiente propício para a família trabalhar em sociedade com harmonia, com segurança para fortalecer e fazer crescer a escala dos negócios e, com isso, o esforço para obter o patrimônio realizado pela atual geração será transmitido para as próximas gerações, garantindo a continuidade do negócio.

Hoje, dentro da estruturação da sucessão e dos princípios de governança, disponibilizamos de diversas técnicas para serem utilizadas nas empresas rurais familiares, estas que permitem estabelecer todas as relações que falamos anteriormente e já estão sendo aplicadas pela Safras & Cifras há mais de 12 anos junto as famílias dos empresários rurais brasileiros com enorme sucesso.
Para que tenhamos sucesso nessa estruturação de sucessão e implantação dos princípios da governança, é fundamental que os profissionais que vão orientar e atuar no assessoramento junto as famílias, suas empresas e seus negócios, tenham um profundo conhecimento nos seguintes pontos:

*  Conhecer como funciona uma empresa rural, quanto a sua produção, utilização física da terra, relações com o mercado de provedores de insumos, máquinas e equipamentos, agentes financeiros, relações com órgãos públicos, entre outras

*  Conhecer contabilmente e fiscalmente as rotinas de como a empresa rural que em vários pontos são diferentes de uma empresa urbana

*  Conhecer a legislação tributária, fundiária e ambiental

*  Conhecer a forma legal e mais econômica das transmissões de patrimônio de pais para filhos

*  Conhecer como constitui uma empresa formalmente, com suas regras e seus registros que não engessem a empresa e o negócio

*  Conhecer técnicas que permitam trabalhar com pessoas e famílias, onde o emocional interfere muito nas decisões a serem tomadas.

O processo envolve uma estrutura profissional multidisciplinar, com formação preferencialmente nas áreas de ciências agrárias, ciências contábeis, direito, administração e psicologia, que vão agir nas diferentes fases do processo dando sustentação ao mesmo.
Para produzir uma máquina é necessário conhecimento técnico de várias profissões e, para trabalhar com as relações negócio, família e patrimônio, é necessário além de conhecimento técnico, saber trabalhar com relações pessoais e suas emoções. Uma sucessão só tem sucesso na transmissão do patrimônio e da gestão se as pessoas da família envolvidas no processo estiverem seguras e confiantes do mesmo.

Cilotér Borges Iribarrem
ciloter@safrasecifras.com.br
Consultor em governança e sucessão familiar em empresas rurais

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Ex-prefeito de Jataí é condenado por usar máquinas da prefeitura em obras que o beneficiaram

O ex-prefeito de Jataí Fernando Henrique Peres teve seus direitos políticos suspensos por 10 anos.

Por Cristina Rosa/MP
O ex-prefeito de Jataí Fernando Henrique Peres teve seus direitos políticos suspensos por 10 anos e deverá ressarcir o erário em R$ 27.516,42, com juros e correção monetária, por ter usado maquinários da prefeitura na realização de obras em seu benefício. A condenação do juiz Thiago Soares Castelliano Lucena de Castro acolheu pedidos feitos em ação de improbidade administrativa proposta pela promotora Patrícia Almeida Galvão, da 7ª Promotoria de Justiça de Jataí.

Pela decisão, o ex-prefeito está obrigado ainda a pagar multa civil no valor de R$ 41.274,63 e não poderá contratar ou receber benefícios do poder público pelo prazo de 10 anos. Confira aqui a íntegra da sentença.

Segundo sustentado na ação, em 2007, Fernando Henrique Peres, utilizando-se das prerrogativas do cargo, autorizou a utilização de máquinas e servidores da prefeitura em obras particulares. Conforme apurado, caminhões basculantes, pás mecânicas e motos reguladoras realizaram trabalho de recuperação de estradas vicinais no município de Serranópolis, nas proximidades da fazenda do então prefeito.

Em depoimento, Fernando Peres admitiu a realização das obras, na qual foram também utilizados maquinários particulares, mas garantiu que seriam trabalhos referentes ao um consórcio denominado Consórcio Intermunicipal de Obras da Região do Extremo Sudoeste Goiano (CIMO). No entanto, da análise do convênio, entende-se que a obrigação do município de Jataí era tão somente o fornecimento de combustível e a manutenção corretiva e preventiva para o maquinário do consórcio. Os únicos veículos do município que deveriam ser utilizados seriam o de apoio e o de transporte de trabalhadores, não havendo, assim, nenhuma previsão de máquinas para manutenção e cascalhamento de estradas.

Servidores que trabalharam na obra afirmaram que as máquinas e a equipe da prefeitura ficaram ao menos 15 dias fazendo os serviços na estrada vicinal. Para o magistrado, está comprovada a irregularidade na utilização dos maquinários e servidores, tendo em vista que foram utilizados fora da circunscrição do município, sem nenhum tipo de convênio e para a realização de obras de reparo na estrada vicinal na fazenda do então prefeito para beneficiá-lo. “Por óbvio, não existe prova documental comprovando que a obra na estrada vicinal era para beneficiar sua fazenda, até porque ninguém escreve isso”, afirmou o magistrado.

Aconteceu na Câmara Municipal de Jataí

João Rosa (foto): projeto ajuda a divulgar tratamento gratuito contra tabagismo
A Câmara aprovou projeto do vereador João Rosa que obriga os estabelecimentos jataienses que comercializam produtos fumígenos (derivados do tabaco) a afixar material de divulgação informando sobre a existência de tratamento gratuito para dependentes dessa substância pelo Sistema Único de Saúde (SUS), existente na Policlínica de Jataí.

Mauro Filho pede cumprimento da lei que criou o Dia de Enfrentamento ao Crack
O vereador Mauro Bento Filho solicitou à administração municipal o cumprimento da lei 3.153, de abril de 2011, que instituiu a data de 8 de dezembro como Dia Municipal de Enfrentamento ao Crack e a Outras Drogas. Na data seriam realizadas ações voltadas à prevenção do uso, promover campanhas educativas e fortalecer o combate ao tráfico. A data foi escolhida devido ao fato de que, em 8 de dezembro, também é comemorado o Dia da Família.

Marcos Antônio solicita refletores para pátio de escola
O vereador Marcos Antônio reivindicou ao executivo a colocação de quatro refletores no pátio da Escola Estadual Washington de Barros. A partir de 2016 a unidade também funcionará no período noturno para atender alunos do Cidade Jardim e dos bairros vizinhos, pois não há outra escola na região que ofereça a segunda fase do ensino fundamental e o ensino médio.

Thiago: combate a abusos deve começar na sala de aula
O vereador Thiago Maggioni requereu à administração municipal que sejam afixados nas salas de aula avisos com o número do disque-denúncia contra qualquer tipo de violência, abusos e assédio sexual cometido contra menores (Disque 100, Conselho Tutelar e demais entidades responsáveis). Ele lembra que estudos mostraram que pelo menos metade das meninas e muitos meninos já passaram ou passam por assédio nos ensinos fundamental e médio. “Não podemos tratar o assédio como brincadeira de criança”, afirmou ele. “O assédio afeta o desempenho escolar, prejudica a saúde e acarreta traumas para toda a vida”.